Quem sou eu? O que faço

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Quem sou? O que faço. Sou Maria de Lourdes, tenho, agora, 62 anos, esposa, mãe e avó, formação jurídica, com pós graduação em Direitos Humanos e Direito Processual Civil, além de um curso não concluído de Filosofia. Conheci os clássicos muito cedo, pois não tinha permissão para brincar na rua. Nosso universo – meu e de meus irmãos – era invadido, diariamente, por mestres da literatura universal, por nossos grandes autores, por contistas da literatura infanto-juvenil, revistas de informação como Seleções e/ou os populares gibis. Todos válidos para alimentar nossa sede de conhecimento. Gosto de conversar, ler, trabalhar, ouvir música, dançar. Adoro rir, ter amigos e amar. No trabalho me realizo à medida que consigo estabelecer a verdade, desconstruir a mentira, fazer valer direitos quando a injustiça parece ser a regra. Tenho a pretensão de informar, conversar, brincar com as palavras e os fatos que possam ser descritos ou comentados sob uma visão diferente. Venham comigo, embarquem nessa viagem que promete ser, a um só tempo, séria e divertida; suave e densa; clássica e atual. Somente me acompanhando você poderá exercer seu direito à críticas. Conto com sua atenção.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

RIFAM-SE CARGOS


UM PAÍS FATIADO


Vivemos dias da mais completa inversão de valores que uma Administração Pública poderia cogitar. Agonizamos antes as terríveis realidades que se abatem sobre as mais altas autoridades do Executivo e do Legislativo Brasileiro. O governo aposta todas as sua fichas nos bastidores da política. Delineiam-se, nas entrelinhas, acordos,  conchavos e pressão. Não importam os custos. Não preocupação com  o fratricídio. Frases como "queremos a Paz mas não tememos a guerra", fazem a memória de igual destempero, no nordeste, quando asseverou:“Nós podemos disputar eleição, nós podemos  brigar na eleição,  nós podemos fazer o diabo quando é hora da eleição...” Dilma Rousseff – Em João Pessoa, abril de 2013 entregando casas do Minha Casa, Minha vida. (Grifo nosso)
*Imagem:lorotaspoliticaseverdades.blogspot.com


A Presidência da República debate-se, desordenadamente, na tentativa de desconstruir uma realidade cada vez mais consistente. Com uma técnica de desmoralização dos que se lhe opõe. A defesa da Presidente se destaca, principalmente,  por  montar   manifestações   profissionais, organizar claques - para gritos, grosserias, aplausos aos amigos e vaias ao inimigos.  Atribuição de erro aos que se insurgem contra sua administração, além da acusação de tentativa de golpe contra a Democracia. *Imagem:dicio.com.br


Dia a dia, no cenário político brasileiro, somam-se, ás pedaladas fiscais, à corrupção na Petrobrás e a acusação de crime de responsabilidade da Presidente, denúncias de corrupção passiva e ativa em ampla escala, envolvendo parlamentares, altos executivos, empresas estatais e privadas; ainda, o uso de prerrogativas de cargos Públicos em benefício próprio e de terceiros; a ocultação de bens; as tentativas de obstrução da investigação e presença de organização criminosa. *Imagem:paginabrazil.com


Muito pouco parece estar imune à poeira de corrupção, que se entende sobre a nação brasileira. A Presidência da Câmara dos Deputados, exercida por um parlamentar, tornado Réu por unanimidade no Supremo Tribunal Federal, na Operação Lava a Jato, acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, insiste em utilizar sucessivos expedientes, puramente procrastinatórios do andamento de um Processo Disciplinar em curso na Comissão de Ética daquela casa Legislativa, mantendo como um acrobata no trapézio, riscando o nada.  *Imagem:dedemontalvão.blogspot.com
Por sua vez, o Presidente do Senado e do Congresso Nacional, Senador Renan Calheiros, apropria-se do sorriso de “Mona Lisa” , olha do alto de suas conjecturas,  a situação ímpar que o Brasil atravessa e entrincheira-se sob o muro. Calcula a hora de sair dali, o preço que terá de pagar ou a receber para dar conhecimento a quem interessa de sua decisão. Espera dividendos de uma lealdade inexistente e de uma moral elástica a perder de vista.*Imagem:pjpontes.blogspot.com


Não fosse suficiente, critica e ao mesmo tempo abre uma possibilidade. Seria um bom participante no desagradável Big Brother Brasil, onde é diuturnamente insinuada a máxima a que estamos obrigados a conviver com o “quanto pior melhor”. Sua excelência paga para ver e não é por acaso. Se pronunciando a respeito da saída do PMDB da base do governo, disparou, nesta Quinta feira 31 de março, considerando “precipitada a reunião da Executiva Nacional do PMDB que determinou o rompimento formal  do partido com o governo...; se disse  surpreso... e que não foi feito um movimento inteligente. “*Imagem:tribunadainternet.com.br

Em atitude típica - o inteligente o Senador - executa movimentos característicos de um morcego. Conserva-se, aparentemente inerte, na sombra, suga e agita as asas, silenciosamente, trazendo uma sensação de conforto de modo a não deixar que seu ataque seja identificado como tal. Não há um estadista, um político do qual o se possa sentir orgulho. Ao contrário, sente-se o peso do  perigo percebido através de atitudes dissimuladas. *Imagem:condomíniosdeideias.blogspot.com


Quem costura, na surdina, sustentáculo para se garantir, quando pendente sobre si a condição de réu em processo criminal, acusado que é, de ter recebido propina da Construtora Mendes Júnior para apresentar Medidas Provisórias do interesse da empresa, certamente se diverte esperando os próximos movimentos  dos atores de tão escabroso espetáculo, para e então, dar a conhecer a sua decisão.*Imagem:cangarubim.blogspot.com

  
Tudo é muito triste. A vergonha só aumenta. Vivemos a angustiante liquidação do Estado Brasileiro. Atenção Senhores Parlamentares, Cargos que anteriormente honravam seus dignitários estão a venda.  Ou melhor, estão sendo rifados. São ofertados em alto em bom som.  Cargos recém desocupados, aos Partidos que permaneçam na base do governo,  sem medos. *Imagem:chargesdopiovan.blogspot.com

A exigência não é técnica, não é moral, não é ética. O que preencherá os requisitos necessários aos pseudos candidatos  será o absoluto e total apoio à Presidente. Estranho, esdrúxulo? Não. Indecoroso e denotador da crise moral e ética, sem precedentes, que assola o Brasil e os brasileiros. Partidos pequenos como o PR, PP e PSD já ensaiam suas ascensões. *Imagem:votozero.blogspot.com
Os cargos não são na base da pirâmide. Ao contrário, podem estar no topo como é o caso de Ministros de Estado; ou estar no Primeiro, Segundo e ou Terceiro Escalão na Administração Pública Federal, como a Diretoria-geral do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), a Diretoria da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Presidências da Fundação Nacional de Saúde e de outras  Estatais.  *Imagem:robsonpiresxerife.com

Em visível temporada de rifa de cargos públicos, ainda amargamos o fatiamento de nosso País. Ora ouvimos declarações de Ministros e Ex-ministros de Tribunais Superiores, “ensinando” a insurgentes, qualificados ou não, que o impeachment é previsto na Constituição Federal. Ora ouvimos gritos estridentes, atitudes ostensivas que não haverá golpe contra a Democracia. Acrescido a tudo isso, ainda há a incitação a violência. *Imagem:entretenimento.uol.com.br

Não é só isso. Do mesmo modo vislumbra-se parlamentares enlouquecidos, comportando-se como se desconhecessem a essência da Democracia que exigem. Arbitrários e confiantes no grito e na truculência, fecham a passagens, tumultuam a entrada, impedem o livre trânsito e agridem com palavras e vias de fato, o Presidente Nacional da OAB, no exercício de seu Direito de protocolar um processo na Câmara Federal. É a Democracia seletiva? Só Democracia pró Partido dos Trabalhadores e aliados? Onde se encontra depositado o testamento grego que deixou a Democracia como herança exclusiva ao Partido dos Trabalhadores?*Imagem:tribunadainternet.com.br


Embora se tenha chegado a esse ponto, o cenário político brasileiro até o presente momento parece desconhecer limites. Alguns justificam a permanência da presidente sob a alegação de que tirá-la iria piorar a situação social do País; outros – cegos e surdos ao clamor da gravidade do apurado pela Polícia e Justiça Federal, ao conteúdo de documentos apreendidos, as delações, aos áudios sequer negados, alegam que nada existir a justificar o processo de impedimento em curso. Ïmagem:jornaldebrasilia.com
E lá vamos nós o povo brasileiro, na corda bamba, de um lado para o outro, submetidos aos humores, compromissos e anseios de suas Excelências, muitas das quais indignas do tratamento. Num momento tão tenebroso vem à lembrança de uma canção ouvida, repetida vezes, cuja letra diz o seguinte: Como será o amanhã/ Responda quem puder/ O que irá me acontecer/ O meu destino será como Deus quiser. Qual será o destino de um país prometido, eternamente, ao progresso, a paz, mergulhado num mar de lama ?

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço e muita paz e saúde.
António Jesus Batalha.