Quem sou eu? O que faço

Minha foto
João Pessoa, Paraíba, Brazil
Quem sou? O que faço. Sou Maria de Lourdes, tenho, agora, 62 anos, esposa, mãe e avó, formação jurídica, com pós graduação em Direitos Humanos e Direito Processual Civil, além de um curso não concluído de Filosofia. Conheci os clássicos muito cedo, pois não tinha permissão para brincar na rua. Nosso universo – meu e de meus irmãos – era invadido, diariamente, por mestres da literatura universal, por nossos grandes autores, por contistas da literatura infanto-juvenil, revistas de informação como Seleções e/ou os populares gibis. Todos válidos para alimentar nossa sede de conhecimento. Gosto de conversar, ler, trabalhar, ouvir música, dançar. Adoro rir, ter amigos e amar. No trabalho me realizo à medida que consigo estabelecer a verdade, desconstruir a mentira, fazer valer direitos quando a injustiça parece ser a regra. Tenho a pretensão de informar, conversar, brincar com as palavras e os fatos que possam ser descritos ou comentados sob uma visão diferente. Venham comigo, embarquem nessa viagem que promete ser, a um só tempo, séria e divertida; suave e densa; clássica e atual. Somente me acompanhando você poderá exercer seu direito à críticas. Conto com sua atenção.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

AS MAIS BELAS MULHERES DE HOLLYWOOD - 1ª PARTE



DIVAS.




O Aurélio define diva como deusa, epíteto de atriz, cantora etc, notável. Originado do latim significando divindade. O mundo das artes elegeu algumas divas, notadamente o cinema. A música, através da Ópera também fez surgir mulheres desse tipo que conseguiam estar entre o inalcançável – o céu e o mundo dos homens – a terra. 


Tais criaturas povoaram os sonhos do universo masculino tornando-se unanimidade. Assim uma verdadeira diva conseguia a simples menção de uma possível aparição, eletrizar multidões. Independentes, geralmente donas de temperamentos fortes, a humanidade curvava-se aos seus pés, adorando-as. As tiragens de jornais e revistas multiplicavam-se quando suas edições estampavam fotos, matérias ou qualquer alusão as campeãs de bilheterias.


Havia sempre a ilusão de uma linda história de amor no ar. A beleza, o glamour, o ar de mistério atiçavam as imaginações. Para alguns, certas mulheres, “divas em pleno auge de suas belezas”, exalavam sensualidade, estavam sempre cercadas por um halo luminoso que as abrilhantava e arrastava multidões. A cada uma delas, eram  dispensadas todas as atenções possíveis e imaginárias. As divas reinaram absolutas nas décadas de 40, 50, 60 E 70.


Além das divas haviam também as queridinhas de Hollywood. Não eram exatamente belas, mas invariavelmente talentosas. Algumas eram bonitas, mas não possuíam aquele it que mexia com imaginação masculina ou despertava nas mulheres uma terrível necessidade de copiá-las.

BOM,  VAMOS AS DIVAS:



Reinando absoluta na década de 40, RITA HAYWORTH foi considerada, por muitos, a atriz mais sensual  de todos os tempos. Filha de um dançarino espanhol, batizada como Marguerita, deu início ao seu sucesso estrondoso ao fazer o filme “O Compasso do Amor”, ao lado de Fred Astaire, porém foi “Gilda” que  alavancou sua carreira, tornando-a a mulher mais desejada de sua época.



Rainha absoluta, passou a ser chamada de “deusa do amor”. Foi casada com Edward Judso, que conseguiu seu primeiro contrato com a Columbia Pictures. Divorciada, casou com Orson Welles – que se apaixonou perdidamente pela ruiva, entretanto o casamento de duas estrelas não foi um céu de brigadeiro, culminando com o divórcio; foi a primeira atriz  de Hollywood a casar com um príncipe, o Paquistanês Ali Solomone Aga Khan – pai de sua filha Yasmin Aga Khan; divorciada, casou , ainda, com James Hill e Dick Haymes. Fonte – Wikipédia – a Enciclopédia Livre. Bela, talentosa, Rita Hayworth morreu com sessenta e nove anos, vítima de Alzheim, em Nova Iorque, na casa de sua filha Yasmin. Morta restou à lenda.



INGRID BERGMAN – Uma sueca que iniciou a vida artística em sua terra natal onde fez nove filmes. Entretanto a fama viria quando a América a descobriu, protagonizando filmes memoráveis como ”Intermezzo;  Uma História de Amor”; “Casablanca”; “Por quem os sinos Dobram”; “A Meia Luz” com o qual ganhou seu primeiro Oscar; Interlúdio e Joana D’Ar, entre outros.


Viveu uma deslumbrante história com o Diretor Italiano Roberto Rosselini, iniciada quando ainda estava casada, engravidou do então amante, abandonou seu marido e pai de sua filha desagradando aos seus incontáveis fãs. Marcada em Hollywood amargou certo desconforto. Porém, diva é diva, e apesar disso, continuou filmando. Com o seu amado teve três crianças, um menino e gêmeas. Divorciada voltou a Hollywood filmou “Anastácia a Princesa Esquecida”, ganhando o seu segundo Oscar de melhor atriz.



Casou uma terceira vez com Lars Schmidt, um produtor sueco. Fez vários filmes, entre eles “Assassinato no Expresso Oriente”, que lhe deu seu terceiro Oscar, dessa feita como melhor atriz coadjuvante. Sua beleza impar, sua classe e sua capacidade de superar dificuldades fizeram dela uma diva, sempre assediada pela imprensa e dona de fantásticas bilheterias. Seu nome levava milhares de pessoas ao cinema, seus fãs clubes se multiplicavam, vendia jornais e revistas fazendo a alegria dos editores. Morreu aos sessenta e três anos de câncer, em Londres.


AVA LAVÍNIA GARDNER  ou simplesmente Ava Gardner, foi uma das mais belas atrizes do cinema de todos os tempos.  Com uma figura clássica, cabelos negros, pele alva, olhos azuis-esverdeados, dona de uma boca caprichosamente desenhada pela natureza. Invadiu os sonhos e perturbou homens como Howard Hughes , bilionário americanos com quem viveu uma relação marcada por agressões, inclusive, cenas em que era esmurrada na cabeça e tinha objetos jogados contra si. Casou com Frank Sinatra a quem imputava ser a maior paixão de sua vida e cuja relação fracassou por ter se envolvido com  o toureiro espanhol Luíz Dominguim.



Foi casada também com o ator Mickey Rooney que lhe foi pública a continuamente infiel e, com o músico Artie Shaw que odiava a sua profissão criando um clima de insegurança que a levou a beber. Seus melhores filmes são Mogambo; A Roda  da Fortuna; A Condessa Descalça; A Hora Final; Tentação; Terremoto; A Sentinela dos Malditos; Cliente Morto não Paga. Está imortalizada na Calçada da Fama.  



 A crítica especializada  coloca Ava Gardner entre as cinquenta super estrelas do cinema, é um dos maiores mitos da sétima arte, de exuberante beleza foi descrita como  “ o animal mais belo do mundo”. Morreu aos sessenta e sete anos, de câncer, em Londres.



MARILYN MONROE – Um dos grandes sexy symbol da história do cinema. Nascida Norma Jeane Morteson teve uma história de vida triste. Sua mãe nunca deixou claro quem era seu pai, apesar de constar em sua certidão o nome do primeiro marido daquela. Igualmente, sofreu com fato de ter mudado de casa em casa após sua mãe ter sido internada por problemas mentais e sua guardiã ter casado com um homem que repetidas vezes tentou abusar  sexualmente dela.


Casou muito cedo, num casamento arranjado, para não ser devolvida ao internato. Divorciou-se tão logo seu marido Jim retornou da guerra, já iniciara sua história como modelo. Tingiu seu cabelo de Loiro claríssimo, mudou seu nome para Marylin Monroe (sobrenome de sua avó materna).


Conforme a Wikipédia a Enciclopédia Livre – “Ela tinha 1,67 e altura, 94 centímetro de busto, 61 centímetro de cintura e 89 cm de quadril. Apesar de sua beleza deslumbrante, suas curvas e lábios carnudos. Marilyn era mais do que um símbolo sexual da década de 50. Sua aparente vulnerabilidade e inocência junto com sua inata sensualidade a tornaram querida no mundo inteiro. Ao mesmo tempo que era uma menina frágil e inocente, era uma mulher dominante e irresistivelmente sedutora.”


Marilyn casou três vezes, seu primeiro casamento foi com James Dougherty (1942). Numa segunda tentativa casou com Joe DiMaggio (1954). Em junho de 1956 casou com o dramaturgo  Arthur Miller. Alguns dizem que foi casada com Robert Slatzer. Entretanto a mídia a apontou como amante de John Kennedy quando na Presidência dos Estados Unidos e, posteriormente de seu irmão Robert Kennedy. Ainda, Marlon Brandon também declarou ter tido um romance com a loira.


A fama do Chanel No. 5 – o perfume mais vendido em todos os tempos- atravessou décadas desde que foi incluído na nécessaire de Marilyn Monroe – que dizia usar duas gotas antes de dormir, vestida apenas com o perfume. Jackie Kennedy, Nicole Kidman, Scarlett Johansson e até Marlon Brando, compunham  a lista dos que supostamente usavam o perfume.


Álcool, pílulas, tentativas de suicídio, deixaram a flor da pele a sua  fragilidade psíquica, ocasionando a sua internação em clínica psiquiátrica para tratamento do coquetel mortal resultante de tal combinação. No dia 5  de Agosto de 1962, foi  encontrada morta, aparentemente após uma dose excessiva de barbitúricos. 


A manchete "MM morre antes de de viver a solidão de um novo dia" define no que se transformara a vida da diva. Chegara ao fim uma existência de 36 anos, marcada pela beleza, pela dor e por profundo sofrimento.  O corpo de Marylin foi reclamado por Di Maggio que comandou todos os detalhes do funeral e por vinte anos enviou, três vezes por semana, meia dúzia de rosa vermelhas ao túmulo da atriz. 


SOPHIA VILLANI SCICOLONE – SOPHIA LOREN – Uma linda mulher, de poderosas curvas, lindos olhos verdes, boca carnuda, talentosa e sensual, tornou-se sexy symbol,  levando os homens ao devaneio ante a sua voluptuosidade de diva italiana.  As mulheres  buscavam sua beleza, imitando a sua maneira de ser, de vestir, o penteado, a maquiagem, enfim suscitava todos os sentimentos provocados por uma verdadeira diva, em todos os sentidos.


O filme “Duas Mulheres” foi ovacionado pela crítica dando a jovem  o Oscar  de melhor atriz, inclusive  também a  tornou vencedora do Festival de Cannes repetindo a melhor colocação como atriz. Linda e dona de um corpo estonteante, após o filme que a consagrou foi dirigida pelo renomado diretor italiano Carlo Pontti. 
Com Pontti, casado à época em que iniciaram a relação,  viveu o amor de sua vida, numa relação que desconheceu limites, enfrentou a censura da Igreja Católica, a acusação de adultério pela sociedade conservadora e religiosa romana. Casaram em 1966, quando Ponti conseguiu o divórcio de sua primeira esposa. Uma cerimônia simples, a noiva elegantemente vestida, sem luxos, enfeites e  pompa, uma noiva resplandecente apenas por sua beleza natural.  Diferentemente das outras divas,  Sophia permaneceu casada e feliz por cinquenta anos, até que Ponti faleceu. Com ele   teve dois filhos.


Atuou em mais de noventa filmes Fez seis trabalhos para a televisão, Foi premiada diversas vezes por seu trabalhos. Sua beleza lendária até hoje arrasta multidões e incitam a curiosidade de muitas pessoas. Sophia com mais de setenta anos ainda é capaz de mobilizar um exército de jornalistas, fotógrafos, admiradores. Uma diva, realmente.



Numa rápida passagem por esse mundo fascinante das divas observa-se um lugar comum quebrado apenas por Sophia Loren. As demais casaram sucessivamente, foram traídas, infelizes, tiveram problemas com álcool viveram bem menos do que poderiam ter vivido. Para Sophia a receita da longevidade parece ter sido a Felicidade, a Paz, por ter encontrado um amor verdadeiro com quem dividiu sua existência.

A  lista é longa e nós vamos continuar , me aguardem!




6 comentários:

Anônimo disse...


Lourdes

Mulheres bonitas de verdade. Sem silicone, botox, injeções disso e daquilo. Quero ver o resto da lista.
Acho que a minha preferida vai estar nela.
Dennis

Anônimo disse...

Maria de Lourdes

As mulheres sempre souberam mexer com os homens através do sexo. Essas divas foram olhadas, desejadas e emocionaram a todos. Só uma apaixonou-se pelo homem certo, só uma foi feliz.
Michele

Manoel Carlos Alves disse...

Adorei visitar este blog, muito bela essa pauta entre as famosas... Parabéns!!!

Anônimo disse...

Sophia Loren é a prova de que mulheres podem ser exuberantes e fabulosas independentemente da idade. Sua beleza, sensualidade e carisma continuam florescendo com o tempo. João Carlos

Zoran Araujo Moraes disse...

Não existe mulher mais bonita do que Elizabeth Taylor. Ela foi linda tanto jovem, quanto mais madura.

Na minha humilde opnião, ela é insuperável. Não poderia ficar fora desta lista.

Até mesmo porque, muitas atrizes foram lindas, mas não fizeram papéis onde fossem apaixonantes. E Liz fez muitos destes papéis.

Gostei desta postagem. Um dos motivos de ter vindo até aqui é que estou criando uma lista "Filmes com atrizes Lindas De doer" e vim dar uma olhada.

http://www.posts.grandesclassicosdocinema.com/2013/10/filmes-e-cenas-com-atrizes-lindas-de.html

Anônimo disse...

1- Ava Gardner